17 de julho de 2011

Entendendo melhor o Hemograma Completo - Leucócitos

Fonte: www.google.com.br

LEUCÓCITOS


Como parte importante do hemograma completo, tem-se o leucograma, avaliando a série celular branca. O leucograma raramente é patognomônico, porém, poderá ser usado na elaboração de diagnóstico diferencial, na avaliação da gravidade de determinada doença e ainda poderá ser útil no fornecimento do prognóstico.
Conhecer a produção, distribuição e fisiopatologia dos leucócitos é essencial para a interpretação do significado do leucograma.
O número de leucócitos circulantes reflete a presença ou ausência de equilíbrio entre fornecimento e demanda. A produção leucocitária se da na medula óssea, onde cada unidade formadora de colônia irá produzir e diferenciar seu respectivo tipo celular (UFC's).
A contagem diferencial poderá ser apresentada em porcentagem (valor relativo), ou em número de determinado tipo leucocitário por microlitro de sangue (valor absoluto). A interpretação deverá sempre ser baseada mais nos números absolutos, do que no nas porcentagens, principalmente se a contagem estiver com valor total muito alto ou muito baixo.
Os granulócitos e monócitos vão se desenvolver exclusivamente na medula óssea, enquanto que os linfócitos vão se desenvolver principalmente nos linfonodos e baço. Os leucócitos são: Neutrófilos, linfócitos, monócitos, eosinófilos e basófilos. São classificados em polimorfonucleares ou mononucleares, onde os polim. tem núcleo condensado e segmentado, sendo também chamados de granulócitos (neutrófilos, eosinófilos e basófilos); já os agranulócitos ou mononucleares comportam linfócitos e monócitos.


Neutrófilos


Possuem como função a fagocitose e morte de microorganismos. São divididos em Neutrófilos adultos (maduros e segmentados) e Neutrófilos bastonetes (imaturos e não segmentados ou com quantidade mínima de segmentos).
Os neutrófilos representam uma das principais linhas de defesa do hospedeiro contra os patógenos invasores, especialmente bactérias. São atraídos até o foco da infecção; dessa forma, quando houver súbita demanda de neutrófilos, ocorrerá mobilização do compartimento da medula óssea que poderá corrigir a neutropenia por algumas horas (até que as necessidades a longo prazo possam estimular maior diferenciação das células precursoras em neutrófilos).
Diferenciação dos neutrófilos: Mieloblasto - Pró mielócito - Mielócito - Bastonete - Neutrófilo segmentado

Neutrófilo segmentado, Neutrófilo Bastonete e Neutrófilo Segmentado.
Fonte: http://www.geocities.ws/patclinvet/h104.html


Linfócitos


Apresentam-se ocupando segundo lugar em relação ao número de leucócitos no sangue de cães sadios. São fundamentais itens do sistema imune. São divididos em Linfócitos B (únicas células capazes de produzir anticorpos), Células T (reguladoras de respostas imunes aos antígenos protéicos, servindo ainda como células efetoras para a eliminação dos microorganismos intracelulares) e ainda há a linhagem de Células NK (Natural Killer = derivadas da medula óssea, responsáveis por lisar certas linhagens de células tumorais sem prévia sensibilização).
Não se podem diferenciar os dois tipos de linfócitos (T e B) em um esfregaço de sangue.

Linfócitos



Eosinófilos


São produzidos em maior escala quando frente a infecções parasitárias, migrando para os tecidos infectados pelos parasitos, liberando substâncias que são capazes de eliminar grande parte deles. A medula óssea é a maior produtora deste tipo celular, e o compartimento de estoque dela é cerca de trezentas vezes o número total circulante.
Participam da regulação alérgica e resposta aguda inflamatória. Podem também ser responsáveis por significativa lesão tecidual, tendo importante papel na ampliação da resposta inflamatória.
Como efeitos indesejáveis, possuem potencial para toxicidade, capacidade de produzir produtos pró-inflamatórios e produção de radicais livres de oxigênio.

Eosinófilo


Monócitos


Desempenham importante função na defesa contra microorganismos intracelulares (fungos, vírus e certas bactérias) e também no processamento de antígenos que serão posteriormente apresentados aos linfócitos. Participam dos processos inflamatórios, pois contém ou secretam diversas substâncias biologicamente ativas, sendo responsáveis pela remoção e processamento das células velhas ou fragmentadas. Fazem ainda a filtração de bactérias e toxinas do sangue portal.
Cada monócito poderá ser encontrado na circulação por até 24h, após este período, entrarão nos tecidos e se tornarão macrófagos. Como macrófagos poderão ter meses de vida, ou morrer precocemente em combate à infecções.

Monócito
Fonte: http://desoxirribose.wordpress.com



Basófilos


Possuem a capacidade de liberar heparina no sangue (substância que impede a coagulação sanguínea e também acelera a remoção de partículas de gordura do sangue após refeições). São os leucócitos encontrados em menor número no sangue de cães sadios (menos de 2% da leucometria diferencial).

Basófilo




ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS




Leucocitose: Indica condição de aumento do compartimento de leucócitos circulantes.

A leucocitose pode se dar de forma fisiológica (Há o aumento da quantidade de neutrófilos maduros e de linfócitos em menor proporção. A neutrofilia será estimulada pela epinefrina, enquanto que a linfocitose será resultante de alterações de recirculação celular. Neste caso, não estarão presentes neutrófilos imaturos), reativa (Ocorrerá como resposta às doenças infecciosas. Para que se suspeite de leucocitose reativa, deverá haver desvio à esquerda, ausência de linfopenia ou eosinopenia) ou proliferativa (Aparecerá como resultando de alteração neoplásica das células pluripotenciais. Muitas vezes, o câncer de células sanguíneas não manifestará leucocitose. Pode ser que as alterações estejam em evidência apenas quando for feito exame com amostra da medula óssea).
Como possíveis causas de leucocitose, tem-se: Infecções, Desordens mieloproliferativas, Necrose tecidual e severa inflamação, Gestação e parição em cadelas, Desordens linfoproliferativas, Administração de medicamentos...


Neutrofilia


Fisiológica {Por liberação de Adrenalina = causa demarginação dos leucócitos, elevando rapidamente o número de neutrófilos e linfócitos. Não há alterações definitivas no compartimento total circulante.}

Associação com Corticosteróides {Por liberação endógena de cortisol pelo córtex adrenal ou administração exógena de corticosteróides ou ACTH - neutrofilia.}

Inflamação {Haverá neutrofilia continuada caso exista maior velocidade de liberação pela medula óssea, do que de emigração de neutrófilos para os tecidos.}

Granulocitose Mascarada {Quando em infecções mais leves, apesar do número de neutrófilos circulantes estar aumentado, o compartimento marginal estará maior que o normal.}

Neoplasia {Cuidado, pois o quadro será semelhante a um desvio à esquerda marcante. Será necessária biópsia de medula óssea.}


Linfocitose


Com excessão de neoplasias, a linfocitose é um quadro incomum, não sendo específico para alguma doença. Deve-se realizar interpretação diferenciada pois destruição de medula óssea pode não alterar esta contagem; assim como a destruição do sistema linfático poderá não alterar a contagem dos outros tipos de leucócitos.


Eosinofilia


Cuidado na interpretação, pois há aumento do número de eosinófilos em amostras colhidas durante a noite.

Reações Alérgicas com Hipersensibilidade {Causa mais comum = alergia à pulgas}

Parasitismo {Por parte de processo imunológico = sensibilidade à uma proteína estranha do parasita.}

Lesão tecidual {Por liberação de histamina dos mastócitos dos tecidos lesados, (pele, pulmões, trato gastrointestinal, útero) atraindo mais eosinófilos para estes locais.}

Neoplasias {Em neoplasia dos mastócitos e linfossarcoma}

Predisposição Racial {Algumas raças de grande porte, por exemplo o Pastor Alemão, apresentam maior número de eosinófilos circulantes.}

Estro {Possivelmente como resposta à liberação de histamina pelos mastócitos na parede uterina.}

Gestação ou parto recente {Placenta canina possui grande quantidade de eosinófilos.}


Basofilia


Situação rara, mas poderá aparecer em casos de distúrbios alérgicos, em cães jovens da raça Basenji ou ainda em casos de leucemina basofílica.


Monocitose


Normalmente acompanhada de neutrofilia. Costuma estar presente em casos em que há necrose, neoplasias malignas em hemólise. Está relacionada a doenças em estágio crônico (principalmente doenças inflamatórias crônicas). Poderá haver monocitose também poucos dias antes de iniciar-se um quadro inflamatório agudo.

Esteróides {Provocarão a saída dos monócitos do compartimento marginal para a circulação}

Infecções e inflamações agudas e crônicas {Aumento no número de monócitos por necessidade de fagocitose; normalmente ocorrerá neutrofilia.}

Distúrbios Imunomediados {Aumento da necessidade de capacidade fagocitária.}

Idade Avançada {Tendência para monocitose absoluta, linfopenia e eosinopenia}

Neoplasia {Leucemia monocítica ou mielomonocítica}


Leucopenia: O corpo diminuirá a produção de glóbulos brancos, dessa forma, o corpo se encontrará desprotegido. Como possíveis causas para este estado, encontram-se: Doenças virais, Infecção bacteriana, Drogas tóxicas, Substâncias químicas, Neoplasia de medula óssea, Toxemia endógena (uremia).

Neutropenia 


Infecciosa {Pelo consumo de neutrófilos em inflamações sistêmicas. Se não houver desvio à esquerda, haverá indício de desequilíbrio entre produção pela medula óssea e uso pelo sistema}.

Imunomediada {Sem desvio à esquerda}

Ingestão de toxinas {Aumento de mobilização para compartimento marginal}

Granulopoiese defeituosa {Produção não efetiva de neutrófilos}


Linfopenia


Esteróides {Relacionado ao estresse ou ainda à redistribuição dos linfócitos para tecidos não rotineiros}


Monocitopenia


Não é significativa para o hemograma, pois na normalidade os valores já são muito  baixos.


Basopenia


Sem validade em casos clínicos, pois no hemograma a condição normal é de ausência ou valores muito baixos.


Eosinopenia


Iatrogênica {Tratamentos com corticosteróides}

Estresse Agudo {Causando eosinofilia e depois eosinopenia por liberação de epinefrina}

Estresse Crônico {Liberação de glicocorticóides = Eosinopenia + Linfopenia + Monocitose}

Síndrome de Cushing {Eosinopenia + Neutrofilia + Linfopenia + Monocitose}

Inflamação e Infecções agudas.


OUTRAS ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS


Presença de Granulações Tóxicas = Pode representar maturação incompleta ou defeituosa dos neutrófilos, como por exemplo em inflamações. Estarão presentes durante processos infecciosos persistentes.

Neutrófilos Hipersegmentados = Cinco ou mais lobos, representam inflamações crônicas, ou ainda indicam neutrofilia responsiva à glicocorticóides (desvio à direita).

Corpúsculos de Dohle: Durante infecções bacterianas, traumas e queimaduras.

__________________________________________________________________________________________

REFERÊNCIAS


BIONDO, A. W. (2005). Interpretação do leucograma. In González, F.H.D., Santos, A.P. (eds): Anais do II Simpósio de Patologia Clínica Veterinária da Região Sul do Brasil. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. pp. 29-35.

LOPES, S. T. A.; BIONDO, A. W.; SANTOS, A. P. Manual de Patologia Clínica Veterinária. 3ª ed. Universidade Federal de Santa Maria - Santa Maria, 2007. Disponível em <http://www.youblisher.com/files/publications/8/45937/pdf.pdf>.

http://pt.scribd.com/doc/12908273/Patologia-Clinica-Hematologia-Veterinaria



Um comentário:

  1. GOSTARIA DE SABER OQUE ENTENDE NO HEMOGRAMA O SEGUINTE. OBS. SÉRIE LEUCOCITÁRIA: MONOCITOSE. NEUTROFILIA.

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar !

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...