12 de dezembro de 2011

Anamnese e Preenchimento de ficha para laboratório veterinário


Olá !!
Hoje, vou falar com vocês sobre algo não tão simples, porém não tão complicado, que tem sido motivo de dúvidas para os colegas de profissão e os que se encontram em processo de formação!
Lembrando que ter dúvidas, por mais simples que sejam, não é vergonha para ninguém!


Primeiro vamos ao preenchimento da ficha que será enviada ao laboratório veterinário de escolha. Cada laboratório elabora sua própria ficha de acordo com as informações que consideram como mais importantes para sua própria organização. Todos os dados pedidos pelo laboratório deverão ser fornecidos pelo médico veterinário que está solicitando a ou as análises.

Nome do animal: Deverá ser informado pois amostras de animais distintos, porém de mesmo nome podem ser enviadas em um mesmo dia, dando chance para que confusões aconteçam até mesmo pela própria clínica que enviará  as amostras para análise.

Espécie animal: Deverá ser informada pois todas as espécies possuem peculiaridades, e estas só poderão ser respeitas quando também conhecidas pela pessoa que realizará a análise em laboratório.

Raça do animal: Deverá ser informada quando conhecida, pois determinadas raças tem tendência a alterações como microcitose ou presença de rouleaux, não sendo dessa forma, consideradas como patológicas.

Idade do animal: Deverá ser informada, pois animais jovens possuem parâmetros diferentes de animais adultos, que também possuem parâmetros diferentes de animais idosos. Valores mais altos ou mais baixos podem ser encontrados, e dependendo da idade do animal, poderão ser consideradas como normais ou patológicas.

Sexo do animal: Deverá ser informado, pois machos e fêmeas não possuem para todas as análises os mesmos valores de referência.

Dados do proprietário (nome, endereço, telefone): Podem ser informados para facilitar organização do laboratório e da clínica veterinária solicitante.

Método de colheita: Deverá ser informado, pois amostras podem sofrer contaminação no momento da colheita, inviabilizando algumas análises, como por exemplo, colheita de urina por micção natural, para realização de cultura/antibiograma.

Data e Horário de Colheita de Amostra: Deverão ser informados para que possíveis alterações por acondicionamento prolongado de amostra não sejam consideradas erroneamente como patológicas.

Análises solicitadas: Deverão ser bem especificadas, para que não existam equívocos. Se você, solicitante, tem dúvidas na abreviação de algo, por exemplo, Fosfatase Alcalina (FA ou ALP?), escreva o nome completo do que você deseja que seja analisado, dessa forma, diminuirá a possibilidade de erros.

Observações: Pode-se informar também ao laboratório de escolha algo que possa tornar o diagnóstico mais preciso. Por exemplo, se o médico veterinário solicitante suspeita de hemoparasitose, pode acrescentar este item, para que a pesquisa seja feita com mais especificidade, mais atenção e foco em determinado ponto.

Estes são os campos pedidos para os exames mais corriqueiros, como hemograma, análises bioquímicas, coproparasitologia, EAS, cultura e antibiograma.
Quando a análise for por exemplo, de raspados de pele, líquidos cavitários, amostras com intenção de realização de cultura bacteriana/fúngica; deve-se informar de qual região foi colhida, qual foi o método de colheita utilizado, e suspeita clínica; mesmo que a ficha não esteja pedindo estes dados.


Agora vamos falar um pouco sobre a Anamnese.
A anamnese se trata do principal meio de comunicação entre médico veterinário e cliente (proprietário do paciente). Através dela, pode-se obter dados que o exame físico não fornecerá, como vacinação feita adequadamente, tipo de alimentação, doenças anteriores, convivência com outros animais, dentre outras coisas que são de importante conhecimento para direcionamento diagnóstico.
É importante que grande atenção seja voltada para o proprietário e todos os dados fornecidos por ele, tomando sempre o cuidado de confirmar dados suspeitos, como por exemplo, quando se pergunta se alguma medicação foi feita antes do animal ser levado até a consulta veterinária e a resposta é negativa; deve-se após outras perguntas caso haja algum indício de engano, voltar na mesma pergunta sempre com muita paciência, respeito e delicadeza para que se confirme a resposta, ou que o proprietário por ter adquirido confiança e ter perdido o medo da possível crítica ou bronca, informe o que realmente houve.

As perguntas feitas devem ser de primeiro momento gerais, e conforme as respostas forem sugestivas de determinadas patologias, estas devem começar a ser mais específicas.

Exemplo de anamnese não específica:

1. O animal está com todas as vacinas em dia?
2. O senhor/senhora, observou alguma alteração na cor, cheiro ou textura das fezes do animal?
3. E a urina ? O cheiro está mais forte? Está urinando mais ou menos vezes ? Uma quantidade maior ou menor?
4. Como é a alimentação do seu animal ? Somente ração ? Somente comida ? Ração e petiscos? Um pouco de tudo ?
5. O animal já teve alguma outra doença ? Há quanto tempo ? Qual foi o tratamento utilizado ? Apresentou melhoria ou voltou porque o quadro continuou inalterado?
6. Tem acesso à rua ? Convive com outros animais em casa ?
...

Exemplo de anamnese específica para um animal que está mancando:

1. Há quanto tempo ele está mancando?
2. O senhor/senhora, observou se começou após alguma pancada, trauma, ou se começou sem algum motivo especial ?
3. Alguma tentativa de tratamento já foi feita? Alguma alteração foi observada ?
4. Outros animais podem ter causado a lesão ? Dentro de casa ou durante passeio pela rua ?
5. Ele manca apenas com esta/estas patas, ou alterna ?
6. Tem se alimentado ?
7. Vômito ou diarréia estão presentes?
8. Ele fica sempre acompanhado ou em algum momento do dia fica sozinho ?
9. Ele tem ficado isolado ?
10. Tem preferido ficar deitado, sentado, de pé ? Em movimento, parado ?
....

Observaram que é só questão de direcionamento? A anamnese básica pode ser seguida da específica, e assim, o diagnóstico será mais preciso. Nenhuma pergunta é obrigatória, porém, quanto mais informações forem obtidas pelo médico veterinário, mais fácil será a interpretação do conjunto exame físico/anamnese/laboratorial.

É isso meus queridos e queridas...espero que tenha ajudado um pouquinho...
Caso alguma dúvida ainda exista, sintam-se à vontade para perguntar, ok?


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...